mobilitec

ergometrica

Ortopedia Moderna

Lismedica

Mais que Cuidar

Ortopedia Universo Senior
Stannah Mobilidade S.A

Autopedico

Invacare

Pros Avos

Ortopediareal

Contacte-nos
sembarreiras

Tecnomobile

TotalMobility

Multihortos

Drive Mobility

Contacte-nos

Autor Tópico: Tudo em relação a "Vida Independente"  (Lida 5667 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Online migel

Tudo em relação a "Vida Independente"
« em: 16/01/2015, 11:54 »
Projecto-Piloto de Vida Independente em discussão em Lisboa



Está aberto até ao dia 3 de Fevereiro um período de auscultação da Comunidade de Pessoas com Deficiência para recolher opiniões e sugestões sobre as orientações básicas deste projecto-piloto.
Essas orientações estão no documento “Bases para um Projeto Piloto de Vida Independente” (que pode consultar neste link: http://lisboasolidaria.cm-lisboa.pt/documentos/1417640886B6fKJ4zf3Mp69UO4.pdf ).

Para debate, esclarecimento de dúvidas e recolha de contributos serão realizadas mais duas sessões públicas, nas seguintes datas:

23 de Janeiro (6.ª feira), das 14h30 às 17h30
29 de Janeiro (5.ª feira), das 17h30 às 20h00.

Todas as sessões terão lugar nos Paços do Concelho (Sala do Arquivo). As reuniões são abertas, mas é necessária inscrição prévia por telefone (213 588 693) ou email (vida.independente@cm-lisboa.pt).

Apesar do projecto-piloto ser em Lisboa, é importante que seja amplamente participado e discutido para que se torne uma fonte de experiência e dados para uma possível legislação.

No blogue vidaindependentelx.wordpress.com pode acompanhar o desenvolvimento do projecto e dar a sua opinião.

Partilhe e divulgue este projecto!!

Noticia: (d)Eficientes Indignados
« Última modificação: 03/12/2015, 18:00 por migel »
 

Online migel

Reunião de constituição do Centro de Vida Independente de Lisboa?



Convite: Reunião de constituição do Centro de Vida Independente de Lisboa
Eduardo Jorge
09:04

A continuação do processo e o êxito do Projecto-Piloto de Vida Independente, dependem em primeiro lugar da adesão e empenho das pessoas com deficiência. O Centro de Vida Independente, estrutura composta e dirigida por pessoas com deficiência, será o gestor do dia-a-dia do projecto.

É altura de constituir o CVI, tomar uma série de decisões que ficamos de tomar e avançar na prestação de assistência pessoal a quem precisa.

Se tem uma deficiência, convidamo-lo(a) a participar na primeira reunião que irá realizar-se na próxima 6ª Feira, dia 17 de Abril, das 18h00 às 20h00. Terá lugar no Espaço Municipal da Flamenga, Rua Ferreira de Castro, Bairro da Flamenga, Marvila.

Este espaço situa-se perto do Centro Comercial da Bela Vista.

Existem duas carreiras da Carris, a 794 (Estação do Oriente – Terreiro do Paço) e a 793(Estação Roma/Areeiro – Marvila) com acessibilidade a cadeira de rodas que têm uma paragem junto ao Centro Comercial.

A estação de Metro Bela Vista tem uma saída acessível mas não dá directamente para o caminho de acesso ao local da reunião. Para chegar a essa rua tem de se sair da estação de metro, virar à esquerda até encontrar uma entrada do parque de estacionamento e aí apanhar o elevador para o Centro Comercial. Não é muito prático mas é o único caminho possível em cadeira de rodas.

Em frente ao local da reunião existe um parque de estacionamento com muitos lugares.

Fonte: vidaindependentelx

Eduardo Jorge

- Tetraplégicos:  http://tetraplegicos.blogspot.com/
- No facebook: https://www.facebook.com/nos.tetraplegicos

     
 

Online migel

Apresentação do projecto-piloto sobre Vida Independente da CML, no dia 3

Eduardo Jorge

[Manter esta mensagem na parte superior de sua caixa de entrada]
A Câmara Municipal de Lisboa encontra-se a desenvolver um projecto-piloto pela Vida Independente.

No próximo dia 3 de Dezembro assinala-se o dia Internacional das Pessoas com Deficiência, tendo a CML escolhido este dia para marcar o inicio do funcionamento do projecto-piloto, bem como promover um debate no Salão Nobre dos Paços do Concelho, entre as forças politicas com assento na Assembleia da Republica sobre esta temática.

PROGRAMA PROVISÓRIO

9;00 Sessão de Abertura
-João Afonso, Vereador dos Direitos Sociais da CML
-Diogo Martins?Presidente da Direcção do Centro de Vida Independente

9;30 Documentário “O que é isso de Vida Independente?’’?da jornalista Vera Moutinho e apresentado pela autora

10;00 Debate sobre o direito à Vida Independente?o projecto-piloto da CML e possíveis politicas sobre a temática
-Vera Moutinho?jornalista do "Público"?moderadora
-Representantes dos Partidos com assento na Assembleia da República
-Eduardo Jorge?protagonista do documentário e activista da Vida Independente

11;30 Fim dos trabalhos

Apareçam e divulguem


Fonte: Tetraplegicos
 

Online migel




Pessoas… O mundo é feito delas, das suas vontades, das suas vivências, das suas capacidades. As pessoas são o ponto essencial para o desenvolvimento da sociedade. As pessoas com diversidade funcional são parte integrante do mundo, do que nos rodeia, das nossas cidades, dos nossos locais de trabalho, dos nossos círculos sociais. Somos todos pessoas, somos todos capazes, somos todos necessários, somos todos “sociedade”.
Quando Ed Roberts começou a batalha pela Vida Independente, nos anos 60, provavelmente não imaginaria que fosse possível haver, ainda hoje, quem achasse preferível institucionalizar pessoas com deficiência em vez de lhes dar as condições para uma vida plena, como os demais cidadãos. Mas isso acontece, com regularidade e por motivos que não são aceitáveis, como por não termos um familiar que cuide de nós, por não termos dinheiro para pagar a alguém que cuide de nós, porque a nossa casa não é adaptada a nós, porque… por todo e qualquer motivo que não é aceitável. Nenhum motivo é aceitável a partir do momento em que não temos escolha, em que não nos é dada outra hipótese de sobrevivência.
A Vida Independente não é um luxo, é um direito humano, é o reconhecimento das nossas necessidades, é a evolução da sociedade.
As pessoas com deficiência são capazes de decidir por si próprias, de tentar, de errar ou acertar, de tomarem as suas decisões. São capazes e devem ter esse direito. E não nos vamos contentar com menos do que isso!
Noutros países, como nos EUA, Reino Unido, Suécia e Espanha, já existem sistemas de Vida Independente baseados nos pagamentos directos às pessoas com diversidade funcional para que as mesmas decidam como, onde e com quem viver. Ou seja, que permita às pessoas que não querem ser institucionalizadas, continuarem a viver nas suas casas, com a assistência pessoal que necessitam. Isso foi conseguido à custa da luta das próprias pessoas com diversidade funcional pelos seus direitos, que pressionaram os governos e exigiram deles a mudança de leis e de paradigma.
Em Portugal, a luta iniciou-se com Eduardo Jorge e o movimento (d)Eficientes Indignados, mas as promessas feitas pelo Governo, em 2012, não foram cumpridas. Este projeto-piloto não foi originado directamente pelas pessoas com diversidade funcional, como nos outros países, veio da iniciativa do Vereador João Afonso - a quem muito temos a agradecer por este “pontapé de saída”. Foi o único a cumprir a sua promessa! Deu-nos a oportunidade de, não só, provar que a Vida Independente é possível como também de provarmos que nós sabemos o que é melhor para nós e que temos capacidade de gerir um projecto-piloto desta importância.
Nós queremos provar que é possível termos uma vida independente, onde a nossa vida está nas nossas mãos. Queremos provar que não somos um desperdício de dinheiro público, que podemos retornar à sociedade aquilo que ela nos dá.
Somos todos interdependentes. A Vida Independente não significa viver isolados do mundo, mas sim termos o poder de decidir a nossa vida. De não ser alguém que não nos conhece a decidir o que fazemos, a que horas fazemos e como fazemos.
Termos um assistente pessoal é um enorme avanço na Vida Independente, é a possibilidade de optar, de forma livre, pelo que achamos melhor para a nossa vida. Os assistentes pessoais são pessoas que farão por nós aquilo que nós não podemos fazer, sem nos dar ordens nem decidir por nós.
Hoje, com muito orgulho em toda a equipa do Centro de Vida Independente, posso anunciar que já temos pessoas com os seus assistentes pessoais. Hoje marca-se o início de uma viagem que provará que a Vida Independente é possível. Está nas nossas mãos, não só nas mãos do CVI e dos participantes deste projeto-piloto, mas sim nas mãos de todas as pessoas com diversidade funcional, lutarmos pelos nossos direitos, provar que somos capazes e que a Vida Independente é possível.
Mas não nos podemos esquecer de todas as pessoas que não têm, ainda, uma Vida Independente, todos contam! Só avançando com a vida independente a nível nacional poderemos ter uma sociedade melhor e mais evoluída, mais participativa e mais diversificada. Sem medos! O medo é o maior inimigo da evolução.
Nós fazemos parte, nós queremos fazer parte e nós sabemos fazer parte da sociedade. Basta de decidirem por nós! “Nada sobre nós sem nós”! Está na hora de nos unirmos. Está na hora de tomarmos a frente desta luta, de exigirmos os nossos direitos. Chegados aqui, não há mais volta a dar. Os 2 anos do projecto-piloto não podem ser condicionante para se avançar com a Vida Independente em Portugal. Não fiquemos à espera, não fiquem à espera, avancemos!
Almada de Negreiros escreveu: “Quando eu nasci, as frases que hão-de salvar a humanidade já estavam escritas, só faltava uma coisa – salvar a humanidade.”


Fonte: enviado por email por Diogo
 

Online migel

Re: Tudo em relação a "Vida Independente"
« Responder #4 em: 05/12/2015, 14:44 »
Assista na integra à apresentação do projeto-piloto de Vida Independente na CM Lisboa

Na data em que se assinala o Dia Internacional Da Pessoa Com Deficiência, 3 de dezembro, foi apresentado no Salão Nobre, dos Paços de Concelho o projeto-piloto “Vida Independente”.

Assista na integra à apresentação do projeto:



Esta iniciativa defende os direitos civis das pessoas com deficiência e pretende dar a estas pessoas uma liberdade de escolha e de controlo sobre o seu quotidiano, permitindo-lhes, entre outras coisas, escolher o sítio onde querem viver ou a contratação de um assistente pessoal, para os auxiliar no dia-a-dia em prol de uma vida mais autónoma.

O vereador dos Direitos Sociais, João Afonso, salientou que esta data “é um dia onde chamamos à atenção da comunidade” e acrescentou que “todos temos direito à nossa vida. Temos de pensar no significado de cada pequeno ato que fazemos”.

Para além do vereador, também estiveram presentes na sessão Diogo Martins, presidente da direção do Centro de Vida Independente, e a jornalista Vera Moutinho, moderadora do debate sobre o direito à Vida Independente que contou com a presença de alguns deputados.

Fonte: CM Lisboa
 

Online migel

Re: Tudo em relação a "Vida Independente"
« Responder #5 em: 06/12/2015, 10:49 »
Instituições assinalam Dia da Pessoa com Deficiência



no dia 03 de Dezembro de 2015

A Associação Seara do Trigo e a Cresaçor assinalam hoje, o Dia Internacional da Pessoa com Deficiência, com a realização de várias atividades que pretendem mostrar à comunidade o trabalho que realizam.

A Seara do Trigo, com o lema "Hoje o dia é connosco", promove no Centro de Atividades Ocupacionais (CAO), em Ponta Delgada, um encontro intergeracional. Assim, durante a manhã as atividades contam com a participação de um grupo de jovens da Escola Secundária Antero de Quental e de crianças do Externato A Passarada, e à tarde com um grupo de seniores do Centro de Convívio do Centro Cultural e Social da Fajã de Baixo.

A Cresaçor, por seu turno, promove, através da Agência para o Turismo Inclusivo e Cultural, um conjunto de eventos, na Quinta do Bom Despacho, como visitas guiadas, terapias alternativas, jogos adaptados e tradicionais, entre outras.

APF
 

Online migel

Re: Tudo em relação a "Vida Independente"
« Responder #6 em: 15/12/2015, 16:01 »
Projeto de Vida “In”dependente em risco – Reportagem da RTP

Adicionado a 15 de Dezembro de 2015 por admin .


Depois do apelo lançado pela APN, a RTP emitiu uma reportagem sobre o Projeto de Vida “In”dependente, com o título ”Apoio a doentes neuromusculares em risco já em janeiro”.

Veja a reportagem:

http://www.youtube.com/watch?time_continue=111&v=T8XEQMSj47M
 
Fonte: RTP
 

Online migel

Re: Tudo em relação a "Vida Independente"
« Responder #7 em: 19/12/2015, 19:32 »
A história da Vida Independente na Europa


A Europa compreende trinta nações diferentes, com grandes variações entre si no que se refere à economia, cultura, religião e sistemas políticos.

Meu enfoque limita-se aos avanços na Europa Ocidental e do Norte. Em vez de fazer uma descrição e uma análise completa de cada um dos países incluídos, usarei vários exemplos de países para ilustrar a mudança.


Continuem a ler...  http://www.deficienteciente.com.br/2015/12/a-historia-da-sociedade-inclusiva-na-europa.html

 

Online migel

Re: Tudo em relação a "Vida Independente"
« Responder #8 em: 26/12/2015, 16:33 »
O início da Vida Independente em Portugal



A Câmara Municipal de Lisboa (CML), escolheu o dia da pessoa com deficiência, 3 de Dezembro, para apresentação oficial do início do seu projecto-piloto de Vida Independente (VI). 5 pessoas com deficiência terão direito, durante 2 anos, a assistentes pessoais pagos pelo projecto, o que lhes permitirá continuar a viver em comunidade e não serem institucionalizados em lares de idosos, como habitualmente acontece. Ou seja, o dinheiro é canalizado para a pessoa e não para a instituição.
Será que é o início da mudança? O tempo é lento sobretudo para quem está preso a uma cadeira de rodas e sonha com uma Vida Independente em Portugal. O desespero já me fez realizar uma greve de fome e uma viagem de 180 kms em cadeira de rodas. Ainda não consigo pintar a realidade de cor de rosa.

Mas pela 1ª vez algo de concreto aconteceu. A Vida Independente passou a ser uma realidade, para pelo menos 5 pessoas, e nos moldes que almejamos. Assim como a criação de um Centro de Vida Independente (CVI), gerido por e para pessoas com deficiência, que será a base de todo o projecto.

Também não esquecer que temos um Governo com características bem diferentes das do anterior, e que o Bloco de Esquerda e o Partido Comunista, ambos Governo neste momento, apresentaram projectos de resolução pelo direito à VI na Assembleia da República, ambos recusados pela maioria composta pela coligação PSD-CDS, Governo na altura, o que significa que se as vontades se mantiverem, e eu acredito que sim, podem voltar a apresentar novos projectos que desta vez serão aprovados.

Se juntarmos a todos esses factores, que pela 1ª vez temos um deputado em cadeira de rodas, Jorge Falcato, ainda por cima ex coordenador do projecto-piloto de VI da CML, e uma Secretária de Estado para a Inclusão das Pessoas com Deficiência, cuja responsável é Ana Sofia Antunes, cega, podemos verificar que nunca houve tantas circunstâncias favoráveis.

Quanto a mim estão reunidas as condições para que algo de muito bom finalmente venha a acontecer para as pessoas com deficiência, acredito que o projecto-piloto da CML, foi somente o inicio desse ciclo.

Mais sobre o projeto AQUI

Texto escrito por mim Eduardo jorge
 

Online migel

Re: Tudo em relação a "Vida Independente"
« Responder #9 em: 15/01/2016, 11:33 »
O que é isso de vida independente?




Enviado por facebook
 

Offline Pantufas

Re: Tudo em relação a "Vida Independente"
« Responder #10 em: 12/03/2016, 11:37 »
MAIS UM PASSO EM DIREÇÃO À VIDA INDEPENDENTE



O compromisso de implementar projectos-piloto de Vida Independente a nível nacional irá estar no Orçamento de Estado.
Foi ontem aprovada na especialidade a proposta apresentada pelo Bloco de Esquerda.
Será para muita gente com deficiência a oportunidade de ter o controlo sobre a sua própria vida.
Viver onde, como e com quem quiser, porque terá acesso a assistência pessoal, é o objectivo.

Foto de Jorge Falcato.

 

Online migel

Re: Tudo em relação a "Vida Independente"
« Responder #11 em: 15/03/2016, 09:07 »
"A pessoa com deficiência será dona da sua própria vida"

Intervenção do Jorge Falcato sobre a implementação de projetos piloto de vida independente para pessoas com deficiência, no segundo dia do debate na especialidade do Orçamento do Estado na especialidade.


14 de Março, 2016 - 10:46h
Jorge Falcato

"O artigo que vamos votar é o início de uma mudança de paradigma na política de apoio às pessoas com deficiência dependentes de terceiros. Uma política baseada em valores como o respeito pela dignidade humana, a liberdade, a igualdade e os direitos humanos. Uma política em que a pessoa com deficiência será dona da sua própria vida e que lhe dará a possibilidade de decidir onde, como e com quem viver.

Será uma política que inverte a tendência institucionalizadora seguida até hoje pelos sucessivos governos, e libertará as famílias das responsabilidades que o estado por enquanto não assume.

Uma política que tardou. Desde a assinatura em 2009 da Convenção dos Direitos da Pessoa com Deficiência da Nações Unidas que o estado português se comprometeu com a implementação da Vida Independente.

Está em causa acabar com o internamento compulsivo de cidadãos e cidadãs, fechados contra a sua vontade em lares para idosos ou outras instituições residenciais, porque não têm uma alternativa.

Instituições que recebem do estado 970 euros mensais por pessoa internada e que ainda lhe cobram até 85% do seu rendimento. Outra solução é possível.

Todos os estudos existentes demonstram que a assistência pessoal sai mais barata ao Estado que a institucionalização, gera emprego, e aumenta exponencialmente a satisfação e a qualidade de vida dos utilizadores.

A implementação de projectos-piloto de vida independente permitirá avaliar, entre diversos modelos, quais os que melhor se adequam à realidade portuguesa e correspondem às necessidades das pessoas com deficiência.

Projectos-piloto que devem cumprir duas condições fundamentais: o pagamento directo às pessoas com deficiência da quantia necessária à contratação da sua assistência pessoal e a liberdade na escolha da pessoa que lhe presta assistência.

Só cumprindo estas condições as pessoas com deficiência serão donas das suas vidas. Só assim terão o poder de decisão que a maioria dos cidadãos têm. Só assim serão livres.

Para aqui chegar foi necessária a mobilização e a luta das pessoas com deficiência e das suas famílias. Porque a vida independente não é possível vivendo na miséria, sem emprego, sem acesso a produtos de apoio e em cidades inacessíveis, muita luta há ainda por fazer. Contamos com todos."
J.Falcato:"Política de respeito pela dignidade humana, liberdade, igualdade e direitos humanos.


Fonte: ESQUERDA.NET
 

Online migel

Re: Tudo em relação a "Vida Independente"
« Responder #12 em: 23/05/2016, 10:28 »
Vida Independente em Portugal

Em Portugal, a Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência (CRPD) não está a ser cumprida. As pessoas com deficiência são impedidos de viver de forma independente, em vários aspectos.



A Convenção assinala que as pessoas com deficiência devem ter o mesmo direito de viver na comunidade e a liberdade de fazer suas próprias escolhas, mas em Portugal, quando eles não têm seus pais ou cuidadores informais (principalmente parentes da família) para dar-lhes assistência, pessoas com deficiência não têm escolha, exceto a institucionalização em lares de idosos.

O artigo 19 da CDPD declara que os Estados que subscreveram a Convenção devem assegurar que:
a) As pessoas com deficiência têm a oportunidade de escolher o seu local de residência e onde e com quem morar, em igualdade de condições com os outros e não serem obrigados a viver em um determinado lugar escolhido pelos outros; e

b) As pessoas com deficiência têm acesso a uma gama de serviços domiciliários, residenciais e outros serviços de apoio à comunidade, incluindo a assistência pessoal necessária para apoiar a vida e inclusão na comunidade, e para prevenir o isolamento ou segregação da comunidade. "

No entanto, em Portugal, não há nenhuma oportunidade de escolha, não há assistência pessoal para pessoas com deficiência e serviços de apoio são insuficientes, instável e inadequada. Existem alguns serviços de apoio em casa, que não são o suficiente e não têm livre arbítrio da pessoa em consideração. As pessoas muitas vezes experimentam indignidade e invasão de privacidade, uma vez que eles não podem escolher quem auxilia-los e cada dia uma pessoa diferente aparece com pressa para começar o trabalho e sair. E depois, há a institucionalização, que é financiado pelo Estado e (mesmo assim) pelos pequenos benefícios atribuídos aos próprios deficientes.

Em um documentário , Eduardo Jorge, que tem sido um forte activista pela Vida Independente em Portugal, foi forçado a deixar sua casa e ir para uma instituição, porque ele não tem os recursos financeiros para contratar um assistente pessoal. A instituição recebe uma quantidade fixa do Estado para ter o Eduardo Jorge lá e leva 75% da renda de Eduardo (um montante negociado por Eduardo, como a carga de base anterior era de 90% da renda total).

As instituições podem receber até 970 € por mês a partir do Estado para subsidiar uma pessoa com deficiência (e ainda receber 90% de sua renda), mas as pessoas com deficiência só pode receber 88 € por mês do Estado para ter uma pessoa ajudando-os na sua própria casa .

O movimento de Vida Independente em Portugal ganhou força em 2013, quando Eduardo Jorge começou uma greve de fome à porta do Parlamento Português. Não durou muito tempo desde que o Ministro do Trabalho e da Solidariedade Social se comprometeram a promulgar uma lei de Vida Independente, que incluiu assistência pessoal. No entanto, o tempo passou e nenhum esforço foi feito para implementar Vida Independente em Portugal. Então, no ano seguinte, Eduardo Jorge viajou 180 km em sua cadeira de rodas, a partir de sua aldeia para o Ministério, em Lisboa, para protestar contra a falta de legislação sobre os direitos das pessoas com deficiência e para entregar uma carta a esse mesmo Ministro.

No dia 3 de dezembro de 2013, o "Dia Internacional das Pessoas com Deficiência", o Movimento Português de pessoas portadoras de necessidades especiais (Movimento (d)Eficientes Indignados) organizou uma conferência internacional sobre Vida Independente, apoiado pelo município de Lisboa, onde Adolf Ratzka foi convidado para falar sobre sua experiência de assistência pessoal na Suécia.

A partir dessa conferência, um projeto piloto sobre Vida Independente foi desenvolvido pela Câmara Municipal de Lisboa, com a consulta pública e a suposição de que ele deve ser gerido por pessoas com deficiência. Então, em 03 de dezembro de 2015, o primeiro projecto-piloto de Vida Independente com base em assistência pessoal começou em Lisboa, financiado pela Câmara Municipal de Lisboa e gerido pelo Centro de Vida Independente.

Este projecto inclui cinco pessoas com deficiência que vivem ou trabalham em Lisboa, durante um período de dois anos, em que os participantes devem contratar seus assistentes pessoais e gerenciar suas horas de assistência. O objectivo do projecto é provar que a Vida Independente é possível e para servir como um guia para a implementação de um projecto nacional financiado pelo Estado e, posteriormente, para uma lei própria de vida independente.

O Centro de Vida Independente é uma associação sem fins lucrativos formado e gerido por pessoas com deficiência, fundada no ano anterior para gerir o projecto-piloto em Lisboa. Além disso, quer promover a filosofia de Vida Independente para o público em geral, pessoas com deficiência e os decisores políticos. Está a trabalhar para replicar o projeto piloto no Porto com o apoio da Câmara Municipal do Porto, e tem vindo a realizar de conferências e sessões de cinema-debate sobre este tema.

Em relação ao ativismo em Vida Independente, em Setembro de 2015 pessoas com deficiência realizaram um protesto na frente do Parlamento Português, organizado pelo Movimento (d)Eficientes Indignados, em que as pessoas estavam vestidas como prisioneiros dentro de uma estrutura de celas de grades, exigindo o direito de Vida Independente, incluindo o cumprimento das leis de acessibilidade e o aumento dos benefícios sociais e pensões.

Desde as eleições em novembro de 2015, o Governo Português, tem, pela primeira vez, um deputado no Parlamento em cadeira de rodas, de um partido de esquerda chamado Jorge Falcato, que tem sido um grande ativista pelos direitos das pessoas com deficiência. No novo governo socialista, que tem o apoio dos partidos de esquerda, tem também uma mulher com deficiência como Secretária de Estado para a Inclusão de Pessoas com Deficiência, Ana Sofia Antunes, que na última conferência sobre o tema no dia 5 de maio declarou que serão abertos concursos públicos a projectos de Vida independente até o final deste ano, apoiados por fundos da União Europeia para o novo quadro comunitário.

As coisas estão avançando e os portugueses com deficiência estão num momento de mudança. Nós mantemos a esperança viva e estamos lutando nesse sentido.

No documentário "O que é isso de Vida Independente?"

A autora do vídeo, Vera Moutinho, jornalista do jornal Português "Público", ganhou o Prémio Dignitas na categoria Jornalismo Digital para o documentário "O que é isso de Vida Independente?", que também recebeu uma menção honrosa na AMI (Assistência Médica Internacional, ONG ) Awards - Jornalismo contra a indiferença.

Escrito por Carla Branco, Centro de Vida Independente, Portugal.

Fonte: Rede Europeia de Vida Independente
 

Online migel

Re: Tudo em relação a "Vida Independente"
« Responder #13 em: 14/11/2016, 15:31 »
Até final do ano avançam apoios para Vida Independente

De acordo com secretária de Estado Ana Sofia Antunes, até ao final do ano, a medida estará aprovada em Conselho de Ministros, "depois da natural e imprescindível consulta pública", para saber se o projeto vai ao encontro das necessidades das pessoas com deficiência.

"No que respeita ao apoio à vida independente, estamos a trabalhar no sentido de ter cá fora, ainda neste ano, a resolução de conselho ministros e a portaria que definem esta medida de apoio às pessoas com deficiência, que é fundamental para a sua autonomização e a sua permanência em contexto de residência, da sua própria habitação", adiantou a secretária de Estado.



Ana Sofia Antunes falava aos deputados, no âmbito de uma audição conjunta das comissões de Orçamento, Finanças e Modernização Administrativa e do Trabalho e Segurança Social, para a discussão na especialidade do Orçamento do Estado para 2017.

Segundo a secretária de Estado, está em causa uma medida que irá servir para a constituição de centros de apoio à vida independente, que terão como função criar uma bolsa de assistentes pessoais, bem como selecionar as pessoas com deficiência que precisem deste apoio.

Estes centros farão depois a "correspondência entre aquilo que são as necessidades das pessoas e o perfil adequado de assistente pessoal", explicou.

Adiantou também que se trata de uma medida que não foi fácil criar, já que foi "preciso redesenhar as candidaturas", criticando que "quem as desenhou não sabia de todo do que estava a falar e não sabe o que é a vida independente".

No que diz respeito à prestação única para as pessoas com deficiência, Ana Sofia Antunes salientou que é uma medida que tem dois objetivos: combate à pobreza e exclusão social, mas que funcione em conjunto com os rendimentos do trabalho.

Ana Sofia Antunes apontou que estão orçamentados 60 milhões de euros para esta prestação social, e explicou que a demora na entrada em vigor teve a ver com questões administrativas, nomeadamente a saída de técnicos informáticos tanto do Instituto de Segurança Social como do Instituto de Emprego e Formação Profissional.

Ainda assim, deixou a garantia de que o Governo continua a trabalhar para que a prestação comece a ser paga ainda no decorrer do terceiro trimestre de 2017.

Fonte: Sapo 24
 

Online migel

Re: Tudo em relação a "Vida Independente"
« Responder #14 em: 05/12/2016, 08:56 »
Rede Europeia para a Vida Independente



Este ano no Dia Internacional das Pessoas com Deficiência (IDPD), estamos a pensar nas centenas de milhares de pessoas com deficiência na Europa trancados em instituições, expostas a abusos de direitos humanos, segregados de suas famílias e da resto da sociedade, e sem controle sobre suas vidas. Estamos também a pensar naquelas pessoas com deficiência incapazes de fazer escolhas básicas, por causa da falta de assistência pessoal, acessibilidade e capacidade jurídica, entre outros.

A Rede Europeia para a Vida Independente (ENIL) defende o direito de viver de forma independente ea ser incluído na comunidade para todas as pessoas com deficiência. Fazemos isso levantando preocupações sobre as leis, políticas e práticas que vão contra o artigo 19 da Convenção da ONU sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência (CRPD). Além disso, podemos fornecer orientação para governos, prestadores de serviços e organizações sobre como afastar-se cuidado institucional e formulação de alternativas baseadas na comunidade que facilitam o direito a uma vida independente. Nós defendemos para o acesso das pessoas com deficiência a serviços de uso corrente, em vez da criação de sistemas paralelos.

Um exemplo do nosso trabalho sobre desinstitucionalização é a visita de estudo à Suécia, organizada em setembro por um grupo de ativistas de deficiência e as autoridades locais a partir de Bulgária, Espanha e Lituânia. O filme, que saiu da visita de estudo - que estamos a lançar por ocasião do IDPD - resume os principais fatores de sucesso para fechar instituições e substituindo-os por um sistema que facilita a inclusão e participação das pessoas com deficiência na sociedade.

Esperamos que este filme inspira as pessoas com deficiência que defendem desinstitucionalização em seus países, e que encoraja as autoridades para criar estratégias baseadas em uma visão de uma vida autónoma e participação da comunidade para todos . Somos gratos a Patrick Doodt por seu trabalho pro bono no filme, bem como a todos aqueles que fez a visita de estudo possível - a Estocolmo Disability Ombudsman, Stil, Sodexo, o Conselho Nacional de Saúde e Bem-Estar, Bosse, a Agência Sueca para a Participação ea Câmara Municipal de Estocolmo - Partido verde. Queremos também agradecer aos Open Society Foundations - Iniciativa de Saúde Mental para apoiar o trabalho de ENIL-se no artigo 19 da CDPD.

Assista As instituições não são Solutions: Aprender com a experiência sueca (versão longa)

Pessoa de contacto para a visita de estudo sueco: Jamie Bolling, Diretor Executivo, jamie.bolling@enil.eu Para ver a versão curta do filme, por favor clique aqui

Fonte e mais informações: Rede Europeia para a Vida Independente - ENIL
 
Os seguintes membros Gostam desta publicação: AREZ

 



Anuncie Connosco Anuncie Connosco Stannah Mobilidade S.A Anuncie Connosco Anuncie Connosco


  •   Política de Privacidade   •   Regras   •   Fale Connosco   •  
       
Voltar ao topo