iacess

ergometrica

Ortopedia Moderna

Anuncie Aqui

mobilitec
Stannah Mobilidade S.A

Autopedico

Invacare

Pros Avos

Ortopediareal
myservice

Tecnomobile

TotalMobility

Multihortos

Drive Mobility

Últimas Mensagens

Páginas: [1] 2 3 ... 10
1

O Sporting Clube de Aveiro faz balanço positivo à prestação no Europeu de Vela Adaptada.

O Campeonato Europeu da Classe Hansa, destinado a velejadores de mobilidade condicionada, decorreu de 5 a 12 de Outubro em Portimão, numa organização do Iate Clube Marina de Portimão.

A equipa da Academia de Vela do Sporting Clube de Aveiro marcou presença no com os velejadores Jorge ruivo e João Gonçalo, sendo acompanhados pelo treinador Pedro Coutinho e pelo Team leader Álvaro Gonçalves (foto).

A equipa aveirense participou nas competições de Hansa 2.3, Hansa 303 individual e Hansa 303 dupla.

Na classe Hansa 2.3, João Gonçalo chegou a estar em 1º lugar nos 2 primeiros dias de prova mas no último dia devido ao vento forte desceu na classificação, obtendo assim o 4º lugar entre 13 participantes, ficando apenas a um ponto do 3º classificado.

Na classe Hansa 303 dupla com 35 embarcações, a dupla João Gonçalo/Jorge Ruivo obteve o 12º lugar.

Finalmente na classe Hansa 303 individual, a prestação do Jorge Ruivo ficou comprometida pelos resultados do 1º dia, obtendo o 27º lugar.

“Esta participação no Campeonato Europeu foi um marco do projecto "Ria Sem Limites" que pela primeira vez vê dois velejadores formados no clube a participar numa prova internacional, e com uma boa prestação nas classes Hansa 2.3 e Hansa 303”, resume o clube de Aveiro.


Fonte: http://www.terranova.pt/noticia/desporto/sporting-de-aveiro-faz-balanco-ao-europeu-de-vela-adaptada
2
Outros / Re: 5ºs Global Games INAS - Brisbane, AUS 19
« Última mensagem por migel em 18/10/2019, 17:05 »
Basquetebol luso lidera nos Global Games~

PAULO VIEIRA LOPES /AUSTRÁLIA /17 OUT 2019 / 02:00 H.
Basquetebol luso lidera nos Global Games

No jogo de ontem o madeirense, Fábio Câmara acabou por não ser utilizado.

Ao quarto dia dos Global Games, evento mundial destinado a atletas com deficiência intelectual, a selecção portuguesa de basquetebol veio a ‘tropeçar’ mas continua isolada no topo, nesta primeira fase da prova.

Nesta competição que esta a ter lugar na Austrália, em Brisbane, Portugal veio a perder o seu primeiro jogo, dos cinco já realizados e diante da selecção da casa. Numa partida...


Fonte: https://www.dnoticias.pt/impressa/hemeroteca/diario-de-noticias/basquetebol-luso-lidera-nos-global-games-JH5339092
3
A Federação das Associações Portuguesas de Paralisia Cerebral (FAPPC), que congrega 18 associadas instaladas no território continental e nas regiões autónomas da Madeira e dos Açores, representa cerca de 20.000 pessoas com paralisia cerebral e respetivas famílias.

Escrevo tal porquê? Porque 20 de outubro é uma data especial... Com o compromisso de afirmar a condição das pessoas com paralisia cerebral, devolvendo a dignidade de uma cidadania participada e cada vez mais efetiva, a Assembleia da República, em 2014, aprovou unanimemente a resolução n.º 27/2014, de 7 de março, que instituiu o dia 20 de Outubro como o Dia Nacional da Paralisia Cerebral. E a partir desse ano, a FAPPC, em estreita parceria com cada uma das associadas, promove um conjunto de iniciativas comemorativas desse dia.

As pessoas com paralisia cerebral ainda continuam a fazer parte dos milhões de seres humanos (pessoas com deficiência) que insistem e persistem em “desativar” os trilhos padronizados. São cerca de 15% da população mundial, segundo a Organização Mundial da Saúde. E desde os primórdios até aos nossos dias, estes 15% de pessoas continuam a ser impedidos de participar e de dar o seu pleno contributo. Sabemos, todos, que para justificar a exclusão ou discriminação existem sempre razões rápidas e simplistas, ancoradas no suposto “bem comum”. Diria, mesmo, que estes milhões de pessoas são excluídos e condenados a abdicar da sua condição de ser humano – por quererem ou serem ousados a desafiar-se e a desafiar os trilhos desta evolução. E a evolução tem uma “certa tendência” para esquecer os mais fracos ou os não padronizáveis...

Vejamos, por exemplo... Os estados democráticos europeus – e, mais particularmente, o Estado Português – são locais onde milhares de pessoas não podem exercer o seu direito de voto de uma forma secreta e autónoma. No caso nacional, que conheço bem, algo que “até” está consagrado na nossa Constituição. Apesar de já existirem meios tecnológicos que permitem que as pessoas com alguma diversidade funcional possam votar autonomamente, ainda assim “mantemos” estas pessoas a exercer o seu direito cívico acompanhado por terceiros.
Volume

Outro exemplo, ainda... Os bloqueios e preconceitos, partilhados por quase todos, impedem que as pessoas com um corpo ou uma mente não padronizada acedam aos meios de subsistência garantidos (nas sociedades modernas) pelo trabalho. Reconhecidamente sabe-se que as situações de dependência e de subsídio-dependência são mais do que as de contribuição e dos contributos de quem pode mas a quem não é permitido o acesso ao mercado de trabalho. Ter deficiência significa, por isso, estar mais sujeito a condições de pobreza. E desta pobreza resulta uma fragilidade crónica e agrilhoada no espartilho de pensões e subsídios miseráveis que não permitem a subsistência mais básica.

Em abril deste ano, milhares de portugueses mereceram uma considerável redução no preço dos transportes públicos. Mas foi apenas uma parte, urbana. Há uma outra “parte”, não tão central ou urbana, que, lamentavelmente, mais uma vez se esquece dos Direitos das Pessoas com Deficiência. E tal acontece passada uma década sobre a data em que o Estado Português ratificou a Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência (CDPD), instrumento legalmente vinculativo no ordenamento jurídico nacional e compromisso assumido por Portugal perante os seus cidadãos e perante a comunidade internacional.

leia mais aqui: https://www.publico.pt/2019/10/18/sociedade/opiniao/percorrer-1890468
4
Deficiência Motora / Jovem promessa do ciclismo holandês fica paraplégico
« Última mensagem por Pantufas em 18/10/2019, 11:02 »
Jovem promessa do ciclismo holandês fica paraplégico
Edo Maas (Sunweb) sofreu acidente em prova italiana no dia 6 de outubro


• Foto: Team Sunweb


Considerado uma das maiores promessas do seu país, o ciclista holandês Edo Maas (Sunweb) sofreu um grave acidente na prova Il Picollo Lombardia, em Itália, disputada no passado dia 6, que deixou paraplégico o jovem de 19 anos.

Depois de ter embatido contra um carro que, por erro da organização, circulava em sentido contrário, o corredor foi transportado para um hospital em Milão com fraturas nas costas e lesões no rosto que obrigaram a várias intervenções cirúrgicas.


Esta quinta-feira, a equipa Sunweb publicou uma atualização sobre o estado de Edo Maas no seu site oficial e due conta de que o ciclista "está a assimilar o diagnóstico de que a fratura das costas causou paraplegia por perda de estimulação nervosa nas pernas". "Neste momento é improvável que a funcionalidade retorne às suas pernas, mas a capacidade de lutar e a esperança prevalecem", adiantam os responsáveis da Sunweb.

Na mesma nota, a formação holandesa pede que todos os fãs respeitem "Edo e a privacidade da sua família, enquanto assimilam estas notícias difíceis" e dirige também palavras à União Ciclista Internacional (UCI) no sentido de reforçar as condições de segurança: "Pedimos mais uma vez à UCI que priorize todo o tempo e recursos para garantir a implementação de condições seguras nas corridas para equipas e corredores".


Fonte: record
5
Atletismo / Mais duas medalhas para Portugal nos INAS Global Games
« Última mensagem por Vitinho em 18/10/2019, 04:08 »


Lenine Cunha no triplo salto e Ana Filipe no salto em comprimento


Lenine Cunha e Ana Filipe conquistaram esta quinta-feira medalhas de prata e bronze, respetivamente, nos INAS Global Games, prova mundial para atletas com deficiência intelectual.

Com estas duas conquistas, Portugal tem agora seis medalhas na competição que decorre em Brisbane, na Austrália – quatro de prata e duas de bronze.

Lenine Cunha venceu a medalha de prata de prata no triplo salto, com a marca de 13,11 metros, ao passo que Ana Filipe foi terceira no salto em comprimento, com 5,07 metros.

No futsal, a seleção portuguesa apurou-se para a final, depois de ter batido a Polónia por 8-3. O jogo decisivo será ante a Arábia Saudita.

In Mais Futebol
6
Solidariedade / Re: Cidadãos deficientes tiveram um dia diferente do habitual
« Última mensagem por Ana-S em 17/10/2019, 18:49 »
Certamente um dia diferente mas muito apreciado por todos eles :)
7
Isso é uma tragédia :( mas como ele está ligado ao desporto, pode competir noutras modalidades. A esperança nunca pode morrer.
8


Edo Maas, da Sunweb, considerado uma das grandes esperanças holandesas no ciclismo, sofreu um acidente no passado dia 6 de outubro, numa prova em Itália, e a equipa confirmou esta quinta-feira que, em consequência, ficou paraplégico.



«Edo Maas está a assimilar o diagnóstico de que a fratura nas costas causou paraplegia, por perda de estimulação nervosa nas pernas», pode ler-se, no site da equipa alemã, que acrescenta ainda que «neste momento é improvável que a funcionalidade retorne às suas pernas, mas a capacidade de luta e a esperança prevalecem».



Durante a prova, Maas embateu contra um carro da organização que circulava em sentido contrário ao do percurso, por erro da organização. As fraturas nas costas e na face resultantes do choque levaram a diversas intervenções cirúrgicas.

In A Bola
9
Noticias / Cidadãos com deficiência convivem com plantel do Varzim
« Última mensagem por Pantufas em 17/10/2019, 17:08 »
Cidadãos com deficiência convivem com plantel do Varzim
- Out 16, 2019



Alguns dos utentes do Centro de Apoio e Reabilitação para Pessoas com Deficiência da Misericórdia de Vila do Conde conviveram na manhã desta quarta-feira com atletas e treinadores da equipa principal do Varzim, durante o treino que teve lugar no estádio municipal da Póvoa.

Envergando camisolas alvinegras, este grupo já tinha assistido ao jogo Varzim-Leixões da época passada e desta vez ainda estiveram mais próximos dos seus ídolos.

O grupo também teve a oportunidade de visitar as instalações do Varzim e a Sala de Troféus do clube.

A visita foi coordenada por Pedro Silva, poveiro que exerce funções na misericórdia vila-condense na área de apoio e reabilitação.

Foto Varzim SC


Fonte: https://maissemanario.pt/cidadaos-com-deficiencia-convivem-com-plantel-do-varzim/
10
Noticias / Antes de ajudar, pergunte. Pelo direito a não precisar de ajuda
« Última mensagem por migel em 17/10/2019, 15:41 »
Antes de ajudar, pergunte. Pelo direito a não precisar de ajuda

A deficiência não é o fim da autonomia. Nem todos precisam, ou querem, ajuda e a chave está na comunicação. Há um movimento nas redes sociais para o recordar.


© Rafael Marchante/Reuters
PorCarolina Rico
15 Outubro, 2019 • 14:21

Imagine que alguém surge nas suas costas sem aviso, pega em si e o leva pela rua abaixo. Sentir-se-ia raptado? É o que pode acontecer a uma pessoa com deficiência motora quando alguém tenta ajudar sem ser solicitado.

Bronwyn Berg ficou tão cansada que desconhecidos na rua lhe empurrassem a cadeira de rodas sem pedir autorização que pôs uma faixa com picos de metal nas pegas.

Apesar de reconhecer que a estão apenas a tentar ajudar, esta mulher natural do Canadá conta à BBC que perder, ainda que por momentos, o controlo de para onde vai, sem que nada possa fazer para o impedir, pode ser assustador.

O ideal é oferecer ajuda em vez de assumir que uma pessoa com deficiência vai precisar. Para passar esta mensagem a ativista Amy Kavanaghum, invisual, criou em 2018 um novo movimento nas redes sociais: "#JustAskDontGrab" (apenas não agarre).


A hashtag é desde aí usada para partilhar histórias de quem se sentiu desconfortável ou inseguro perante o contacto não-solicitado de estranhos.

Foi o que aconteceu a Stephen Anderson em Portugal em agosto deste ano, quando um homem tentou ajudá-lo a sair do metro antes de o seu cão-guia ter avançado, demonstrando que era seguro. O britânico, invisual, conta que disse ao homem para parar e tentou afastá-lo, sem sucesso.


"O condutor de um autocarro empurrou a minha cadeira de lado para me centrar e tocou na almoçada ao pé das minhas pernas sem perguntar. Não foi malicioso ou esquisito, apenas desumanizante, como se eu fosse bagagem", explica Kati no Twitter.


Fonte: TSF
Páginas: [1] 2 3 ... 10


Anuncie Connosco Anuncie Connosco Stannah Mobilidade S.A Anuncie Connosco Anuncie Connosco


  •   Política de Privacidade   •   Regras   •   Fale Connosco   •  
       
Voltar ao topo